quarta-feira, 26 de setembro de 2012

VIVER COM AUTENTICIDADE




As mentiras mais devastadoras para a nossa auto-estima não são tanto as que contamos, mas as que vivemos. 
Vivemos uma mentira quando distorcermos a realidade da nossa experiência ou a verdade do nosso ser. 

Estou a viver uma mentira quando finjo um amor que não sinto, quando finjo uma indiferença que não sinto, quando me mostro mais do que sou, quando me mostro menos do que sou, quando digo que estou zangado, mas na verdade estou com medo, quando finjo um conhecimento que não possuo, quando rio mas quero chorar, quando finjo ter crenças sobre as quais não tenho convicção, só para ser aceite, quando finjo modéstia, quando finjo arrogância...

Quando tentamos viver de forma inautêntica, somos sempre a primeira vitima, pois a fraude, em ultima instância dirige-se a nós próprios. 

A maioria de nós, quase desde o nascimento, foi encorajada a ficar confusa em relação ao que é viver com autenticidade. 
Aprendemos desde muito cedo a negar o que sentimos, a usar uma máscara e, a perder a ligação com muitos aspectos do nosso Eu Interior. Tornamo-nos inconscientes de grande parte do nosso Eu Interior, em nome do ajustamento ao mundo que nos rodeia. 
Os mais velhos encorajaram-nos a rejeitar o medo, a raiva e a dor, porque esses sentimentos não os deixam à vontade, também não sabem como geri-los. Muitos de nós também fomos encorajados a esconder (e eventualmente anular) as emoções. A emoção perturba a rotina.

Pais emocionalmente distantes e inibidos tendem a criar filhos emocionalmente distantes e inibidos, não só através da comunicação, como também através do próprio comportamento, que mostra à criança o que é adequado, apropriado e socialmente aceitável.

Os relacionamentos de pessoas com elevada auto-estima, caracterizam-se por uma dose de benevolência, respeito e dignidade mutuamente respeitada superior à média. Homens e mulheres voltados ao crescimento  tendem a apoiar as aspirações de crescimento dos outros. As pessoas que sentem prazer com as suas próprias emoções sentem prazer com as emoções dos outros. As pessoas que falam sinceramente apreciam a sinceridade daqueles com quem falam.

Quando somos autênticos, não honramos só a nós mesmos, oferecemos também um presente às pessoas com quem nos relacionamos.


Nathaniel Branden



segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Pensamento da semana...

"Em mentes diferentes, o mesmo mundo é um inferno ou um paraiso"
      Ralph Waldo Emerson

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

UMA MENTE SILENCIOSA...




Uma mente positiva é preferível a uma mente negativa, mas ambas podem ser conflituosas e, por vezes, podemos alternar entre uma e outra muito rapidamente. 
O que é uma mente negativa? É uma interpretação.
O que é uma mente positiva? É igualmente uma interpretação.
Mais importante que uma mente positiva é uma mente silenciosa.
Temos que aprender a ir além de uma mente positiva ou negativa para alcançarmos uma mente silenciosa, que se abstenha de julgamentos, análises ou interpretações. Por outras palavras, a nossa mente deve converter-se numa testemunha silenciosa. Neste estado experienciamos o silêncio interior. Na pureza do silêncio, sentimo-nos ligados à nossa origem e a tudo o resto.
No silêncio, apenas fluímos com a corrente e sentimo-nos espontaneamente sem julgamentos, sem análises e sem interpretações acerca das situações, das circunstâncias, das outras pessoas e de nós mesmos. Em silêncio, as energias interiores despertam espontaneamente e produzem a transformação adequada a cada situação.
Há um ditado que diz: O rio da vida corre entre ambas as margens de prazer e da dor, e vamos contra ambas. Isso não é problema. O problema surge quando nos agarramos às margens, tanto à positiva como à negativa. Quando nos reconciliamos silenciosamente com todas as contradições que a vida nos oferece, quando podemos fluir confortavelmente entre as margens do prazer e da dor, experienciando ambas sem ficarmos presos a nenhuma, então teremos alcançado a liberdade.

Deepak Chopra





segunda-feira, 17 de setembro de 2012

Pensamento da Semana...


"Pensamento é causa
 Experiência é efeito
Se não gosta dos efeitos que existem na sua vida, tem de mudar a natureza do seu pensamento"


                                                                                      Marianne Wiliiamson

quinta-feira, 13 de setembro de 2012

AQUILO QUE PENSA...TRANSFORMA-SE NA SUA EXPERIÊNCIA




Os pensamentos que o habitarem, determinam os resultados que vai ter acertando sempre no alvo. Pode escolher projectar na sua vida e no mundo, as ilusões do ego ou a realidade do espírito. Como a maioria dos pensamentos são subconscientes, os seus resultados serão um reflexo da sua mente subconsciente. 
Se recusar este nível de responsabilidade na sua vida, se escolher "andar ao sabor da maré", estará simplesmente a convidar a sua mente subconsciente a tomar conta da sua vida, manifestando automaticamente as suas crenças passadas. 
Se não reclamar o seu poder intrínseco de acreditar na vida, no amor e numa existência de qualidade, dará por si sem esperança e sem poder na sua vida tornando-se uma vitima profissional, frágil perante os mitos colectivos de decadência, depressão e destruição. Se não for o "dono" do seu poder criativo, estará a convidar aqueles que têm consciência do seu (por ex. publicidade, televisão e jornais), a controlar a sua mente.

O que acreditar no seu intimo é o que irá vivenciar. Se não acreditar no poder da sua mente ela perderá o seu poder de criação, ficando impotente e tornando-se um limbo para fantasias e sonhos por realizar.
Você é cem por cento responsável por todos os aspectos da sua vida. Os seus pensamentos acerca de dinheiro produzirão os seus resultados financeiros; os seus pensamentos acerca de sexo produzirão a sua vida sexual; os seus pensamentos acerca de relacionamentos irão produzir os seus relacionamentos. Se andar pela vida a pensar "ninguém me ama", irá atrair experiências que irão confirmar a sua crença. Na realidade, uma experiência é apenas o resultado material de um pensamento. E se por acaso atrair alguém que realmente o ama, irá evitá-lo, rejeitá-lo ou não acreditar nos seus sentimentos.
Se acreditar que a vida é difícil terá razão, irá colher todas as evidências que o provem. Se acreditar que a vida é fácil, irá igualmente colher evidências que o provem. Isto prova como sistemas de crenças totalmente contraditórios podem ser igualmente documentados.
Os seus pensamentos são mais que meras conclusões que tira da vida, eles são a principal causa das experiências da vida. Quanto mais o pensamento estiver enraizado no seu subconsciente (que é um reflexo de quantas vezes repetiu esse pensamento), mais real lhe parecerá.
Se toda a sua vida foi uma "vitima profissional" e de repente se aperceber que foi o criador dessa situação, terá a tentação de deixar de culpar os outros para se culpar a si próprio.
Não é este o objectivo. Dizer que cada um é responsável pela sua vida (não os seus pais, o seu país ou situação económica), é apenas enunciar uma lei da natureza tão válida como a lei da gravidade. Pegar nesta informação e com ela fazer juízos morais é usar a sua mente para se auto punir pelo seu poder pessoal. É um facto que cada um é responsável pela sua vida, mas responsabilidade não significa culpa. Não se julgue, simplesmente aprenda a lição. Permita-se aprender com o que a vida lhe devolve.
Torne-se um detective esclarecido, descobrindo que pensamentos estão a produzir resultados indesejáveis na sua vida e então mude esses pensamentos.
Implante no seu subconsciente os pensamentos do seu eu espiritual e solte os pensamentos de seu eu egóico. Este processo é uma ferramenta poderosa para mudar a sua experiência de vida. 

Numa associação livre de ideias, encha as páginas necessárias escrevendo todos os pensamentos negativos que tiver acerca de:
                               1- Amor
                               2- A vida
                               3- O seu corpo
                               4- Os seus relacionamentos
                               5- O dinheiro
quando sentir que realmente "despejou tudo" o que tinha na mente, amachuque todas as folhas e deite tudo fora. Sinta que estes pensamentos negativos são lixo e que devem ser deitados fora.
Este exercício pode não libertar todos os pensamentos negativos, mas fá-lo sentir que é possível soltá-los e que está a começar a tomar conta do rumo da sua vida.

Bob Mandel


segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Pensamento da Semana...


"Aquele que dentro de nós quer saber e evoluir não é a mente, mas algo que está por detrás dela e que dela  se serve"


                                                                                                   Provérbio Zen

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

A SOMBRA





A Sombra é a parte de nós de que sentimos vergonha, que não queremos que as pessoas conheçam. É aquela parte de nós que escondemos no armário. A sombra é escura, é secreta, é primitiva, está coberta de mitologia. E se ignorarmos a sombra, esta tende a dizer: Bem, vou envergonhar-te. Quero que repares em mim. 
Quando exibe qualidades positivas e negativas, não possui defeitos: é completo. Quando está confortável com a sua sombra, quando a aceita, porque foi assim que o Universo o fez, então torna-se atraente e a sua vida é uma aventura. É natural quando está confortável com a sua ambiguidade e nada é mais bonito do que ser natural. Não procura constantemente a aprovação ao perder-se na cadeia de pensamentos: O que será que os outros pensam de mim? Sou superior ou inferior? Será que as pessoas gostam de mim? Não procure um ideal que não existe. 
A auto-aceitação, a auto-aceitação completa, significa o autoperdão. Quando se perdoar e deixar de se julgar, não julgará também os outros. 
Todas as relações são um espelho do Eu. As pessoas por quem se sente profundamente atraído, ou por quem sente repulsa, são todas espelho de si. É atraído pelas pessoas que possuem traços que já possui, mas que deseja mais, e sente aversão por aquelas em que encontra traços que nega em si mesmo. 

Identifique as qualidades que o atraem nos outros e as qualidades que o afastam. Anote-as num papel. Essas qualidades fazem todas parte de si, de quem você é. 

Se aceitar-se tal como é e se amar-se tal como é, tornar-se-á uma pessoa muito atraente, porque é natural. Porque motivo não se tornaria irresistível? 
Aceite a sua sombra, compreenda  a sua sombra, perdoe a sua sombra. Aceite o facto de que é os muitos rostos do divino. É o seu destino representar um número infinito de papéis, mas você não é os papéis que representa.
Você é a testemunha silenciosa  que desempenha estes papéis.


Deepak Chopra

segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Pensamento da Semana...



"Existe no seu intimo um poder e uma inteligência poderosíssimos que reagem constantemente aos seus pensamento e às suas palavras. À medida que for aprendendo a controlar a sua mente, pela escolha consciente dos seus pensamentos, vai-se alinhando com esse poder"

                                                                                                         Louise L. Hay

domingo, 2 de setembro de 2012

RELAÇÕES CONSCIENTES





"Se me queres já sabes como deves comportar-te... Se me quisesses não me tinhas feito isto... Fizeste-me tanto mal... Fazes-me tão feliz quando fazes assim as coisas... Espero tanto de ti..." 
Por acaso alguém pretende responsabilizar o outro dos seus próprios sentimentos? Ninguém é responsável pelos sentimentos de outra pessoa. Cada um é responsável, dos seus próprios sentimentos. E se alguém experiencia frustração ou desengano na relação com o outro é porque lhe entregou um tal poder, que a relação mais se parece com dependência e imaturidade emocional do que um espaço de qualidade e convivência sã. 
Se para alcançarmos a felicidade, necessitamos viver com alguém em que o "acorrentamos" a uma determinada conduta, estamos a transferir o controlo da nossa própria paz em mãos alheias. Cada um tem o direito e dever de gerir a sua própria felicidade. 
Nos "assuntos do coração" não é recomendável pedir migalhas... Não peças um beijo ou que te queira. Dá tu esse beijo e oferece calorosamente um abraço com alma. Convém reorientar a nossa necessidade de colmatar as carências, começando por oferecer tudo aquilo que desejas para ti. 
Quando uma pessoa, nos seus primeiros anos de vida, foi "querida" e protegida debaixo de um "padrão de manipulação" e dependência, o mais provável é que projecte a mesma película que viveu anteriormente. A manipulação geralmente, funciona de forma inconsciente e por vezes é difícil dar-se conta deste padrão. 
Superá-lo e relacionar-se desde a liberdade e da independência, requer a observação da origem da própria manipulação e da forma de querer as coisas. Observa o que há por trás das próprias palavras e o que pretendes realmente quando falas. Pergunta-te porque a relação de amor se converteu num estado de controlo e possível "perda".
Amar em plenitude é reconhecer e respeitar, o que se passa no mais profundo da tua mente e da alheia. Atenção às "expectativas" em relação ao ser amado.Evitemos rodeá-lo de "moldes ideais", porque mais cedo ou mais tarde sentiremos que "algo nos defrauda"

José Maria Doria


Há um segredo para viver feliz com a pessoa amada: não pretender modificá-la
                                                                                       Simone de Beauvoir